Blog Quinta do Sol

Em livro, filho de Biden relata luta contra drogas e ameaça de morte

Hunter-Biden

Hunter Biden, filho do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, relata suas lutas contra o vício em drogas e álcool em um livro de memórias que será publicado na próxima semana, de acordo com trechos divulgados na mídia norte-americana.

“Comprei crack nas ruas de Washington DC e preparei o meu dentro de um bangalô em um hotel em Los Angeles”, escreve em “Beautiful Things”, segundo o The New York Times. Nessas memórias, que serão lançadas em 6 de abril, Hunter Biden lembra ter comprado crack de um viciado sem-teto com quem mais tarde foi morar. “A relação era simbiótica”, escreve o filho do presidente, hoje com 51 anos.

“Eram dois viciados em crack que não conseguiam soltar um saco de papel. Uma paródia de crack em um ato. “O único filho vivo do presidente também detalha um incidente em 2016, quando ele foi procurar drogas em um acampamento de moradores de rua em Los Angeles.

“Passei e rodei as pessoas amontoadas em finos pedaços de papelão. Atrás delas, notei uma tenda inclinada sem luz. Estava completamente escuro. Tudo o que vi foi a arma apontada para meu rosto”, escreve ele.

Hunter Biden, um alvo frequente da ira conservadora nos Estados Unidos, foi dispensado da Reserva da Marinha em 2014 após um teste positivo para cocaína. Em “Beautiful Things”, a ser publicado pela Simon & Schuster’s Gallery Books, o filho do presidente dos Estados Unidos também se lembra de uma época em que estava “tão desesperado por uma bebida” que não conseguia andar um quarteirão da loja de bebidas até sua casa “sem destampar a garrafa para beber.

Ele descreve como começou a beber em excesso aos 20 anos, foi para a reabilitação e teve uma recaída depois que seu irmão Beau morreu de câncer no cérebro em 2015 aos 46 anos. Hunter, que teve o apoio inabalável de seu pai, tornou-se um foco regular dos ataques de Donald Trump antes da votação de 3 de novembro, especialmente sobre seus negócios na Ucrânia e na China. No livro, ele insiste que não fez “nada antiético” e contesta as alegações de que mostrou falta de discernimento ao participar do conselho da empresa de energia ucraniana Burisma.

“O episódio que levou ao impeachment de um presidente e me levou ao cerne da maior fábula política da década é mais notável por sua banalidade épica”, diz Hunter Biden. O agora escritor recuperado do alcoolismo e radicado em Los Angeles relata em suas memórias o acidente de carro ao qual ele e Beau sobreviveram em dezembro de 1972. No acidente, semanas depois de seu pai ser eleito senador por Delaware, sua mãe e irmã mais nova morreram.

“De repente, vejo a cabeça de minha mãe virar para a direita”, escreve ele. “Não me lembro de mais nada sobre seu perfil: o olhar, a expressão de sua boca. A cabeça só balança”, acrescenta em sua história.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *